Sábado, 17 de Fevereiro de 2007

Entrevista fictícia ao autor...

      Estava eu a passear na Serra da Arrábida, algo pensativa, quando fui abordada por um jovem poeta apaixonado pela Natureza.

Sebastião da Gama - Hum...Boa tarde, dá-me o prazer de falar consigo durante uns momentos?

     Após uns breves segundos de espanto, reconheci a pessoa que me abordava...

Eu - Boa tarde...Ãhmmm...Claro!

     E assim dizendo, ambos nos sentámos num longo banco que espreitava por entre a relva...

E - O que o trás por estes lados?

SG - Talvez procure momentos de reflexão num lugar em que apenas o chilrear dos pássaros ecoa...

E - Segundo o que sei a seu respeito, baseia-se em muito neste tipo de ambientes naturais para escrever...certo?

SG - De certa forma, sim...a quietude da maresia, a beleza das flores..tudo isso é fonte de inspiração não só para as minhas obras,como também para a profissão que exerço - professor.

E - Para si, o que significa realmente ser professor?

SG - Ser professor não é, na sua totalidade, uma profissão, mas um estado de espírito, uma fonte de amizades. Junto aos alunos, um professor nada mais é do que um «camarada mais velho», que ensina e é ensinado...

E - É verdade...se me permite a questão, por que razão é que não corrige os trabalhos dos seus alunos a caneta vermelha?

SG - «Eu sou contra a tinta encarnada nos exercícios». Normalmente, faço as correcções a lápis ou a tinta azul. Isto porque o vermelho remete para o sangue, o «sangue a escorrer das feridas»...

E - Para além de não corrigir os trabalhos a tinta vermelha, tem em consideração mais alguns factores relevantes, aquando da correcção de trabalhos?

SG - Sim...Também considero que os riscos, quando feitos em trabalhos realizados com dedicação e amor, funcionam não como reguadas na própria pele, mas sim na alma.  

E - Hum...E qual o significado, para si, de uma boa aula?

SG - Numa boa aula, tem de haver perfeita comunhão entre mim e os meus alunos - os meus jovens amigos. Tem de predominar a harmonia entre nós...

E - Para si, qual o papel do professor nas aulas?

SG - Ser professor é ter o dom de personificar a própria aula, de fazer com que a lição sejamos nós, e não as notas que habilmente são escritas pelos alunos nos seus cadernos.

E - Muito bem...Muito obrigada! Mas agora, tenho de ir andando...

SG - De nada, de nada...Muito boa tarde, e...Adeus.

E - Adeus.

 Aqui deixamos, também, uma fotografia do Portinho da Arrábida...

  •  Para a realização desta entrevista, recorremos a uma das obras do autor:

Gama, Sebastião da; Diário de Sebastião da Gama; Edições Arrábida; Abril de 2003, Lisboa.

I feel....::
publicado por drikalex às 17:08
link do post | just comment | adicionar aos favoritos :)

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.pesquisar

 

.posts vindouros

. Venha conhecer a Serra da...

. Uma Reportagem Fictícia

. Mais sobre...a Serra da A...

. Breve Apresentação ao Mun...

. Para conhecer melhor Seba...

. Entrevista fictícia ao au...

. A nossa escola...

. A nossa equipa...

. Vida & Obra de Sebastião ...

. Reflexões de Sebastião da...

.arquivos

.What day is it today?

.Calculator




Free JavaScripts provided
by The JavaScript Source

.subscrever feeds